Concelho da Maia

não disponível

Assembleia Municipal

Representação de IMI
Novembro 24, 2020 06:25 PM

Atenta a situação de crise económica e social, resultante da pandemia, o Grupo Municipal do Bloco de Esquerda defende que a Câmara da Maia deve ser mais audaciosa na redução do IMI.

O Grupo Municipal do BE considerou ainda não haver motivo de receio em apoiar as empresas através da descida da Derrama.

Votação em assembleia de mão no ar
Novembro 23, 2020 08:14 PM

Para o Bloco de Esquerda, a aprovação do Regulamento do Orçamento Participativo Jovem não substitui nem diminui a importância da adoção, pelo Município, de um Orçamento Participativo, que "não pode nem deve segregar gerações".

SarsCov-2
Outubro 6, 2020 03:25 PM

O Grupo Municipal do BE questionou o Presidente da Câmara Municipal sobre a desigualdade de tratamento dos trabalhadores municipais.

Os deputados também questionaram sobre o cumprimento do Plano Municipal de Defesa da Floresta contra Incêndios e sobre os abrigos de animais existentes no Município.

Logótipo da CCDR-N
Setembro 29, 2020 08:12 PM

O Grupo Municipal do BE/Maia manifestou-se contra o processo de eleição indireta dos presidentes e vice-presidentes das CCDR, que terá lugar no dia 13 de outubro.

O Bloco insiste que este processo é errado e deve avançar-se rapidamente para implementação da regionalização, instituindo efetivamente as regiões administrativas previstas pela Constituição da República desde 1976.

Água proveniente de ETAR descarregada no Leça
Setembro 29, 2020 04:23 PM

O Grupo Municipal do Bloco de Esquerda apresentou uma moção sobre o Rio Leça, propondo que o Município da Maia, em conjunto com outras entidades, elabore um Plano Específico de Gestão da Água do Rio Leça (PEGA) com a finalidade de assegurar a monitorização e controlo da qualidade da água do rio.

A moção do Bloco de Esquerda foi aprovada por unanimidade.

Agosto 6, 2020 12:39 PM

O Grupo Municipal do Bloco de Esquerda reconhece a importância da construção deste equipamento mas discorda da concessão.

Opinião

Aconteceu no final do mês de outubro de 1979. Pela primeira vez – e, até hoje, a única no nosso país – as trabalhadores domésticas juntavam-se no Pavilhão dos Desportos de Lisboa para realizar o seu primeiro congresso nacional, sob o lema “Dizemos não à servidão”. Nos meses anteriores, o Sindicato do Serviço Doméstico multiplicara reuniões preparatórias e, em junho desse ano, lançara um Inquérito à Opinião Pública, que pretendia formar as delegadas sindicais no contacto com a população, pô-las a socializar, a comunicar na rua, a fazer entrevistas e a distribuir material, a chamar a atenção da sociedade para o Congresso.