Share |

Sobre: Trabalho

Novembro 25, 2018
No dia 24 de novembro, o Bloco de Esquerda esteve presente na cerimónia de homenagem aos trabalhadores que completaram 25 anos ao serviço do Município da Maia. Este ano, graças aos esforços do BE no combate à precariedade, foi possível assegurar, no âmbito do PREVPAP, a reintegração de 22 trabalhadores nos quadros da Câmara Municipal.
Novembro 23, 2018
Uma delegação do Bloco de Esquerda esteve, com os trabalhadores, à porta das instalações da Fico Cables. As trabalhadoras e trabalhadores da empresa de cablagens da Maia manifestaram-se contra a precariedade, os baixos salários e a discriminação salarial.
Outubro 11, 2018
O Bloco de Esquerda acompanhou as trabalhadoras e trabalhadores grevistas da Cerealis (Milaneza), que estiveram esta quarta-feira de piquete à porta das instalações da fábrica, em Águas Santas. Os trabalhadores reclamam a valorização e igualdade salarial.
Setembro 26, 2018
Na sequência do requerimento apresentado pelo Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda na Assembleia da República, a Câmara Municipal da Maia respondeu que foram identificados 7 trabalhadores precários ao serviço dos SMAS e 22 ao serviço da Câmara Municipal. De acordo com a CMM, os procedimentos concursais estão terminados, com quase todos os trabalhadores regularizados.
Junho 27, 2018
Os trabalhadores dos CTT alegam que foram ameaçados pelos responsáveis com a deslocalização das instalações na Maia, o que implicará o seu encerramento definitivo e o correspondente despedimento dos seus trabalhadores. O Bloco de Esquerda questionou o Presidente da Câmara Municipal se este tem conhecimento do plano de encerramento do centro de logística e distribuição localizado na Maia.
Maio 2, 2018
Os deputados do PSD votaram, na Assembleia de Freguesia Cidade da Maia, contra a moção do Bloco de Esquerda que saudava o Dia Internacional do Trabalhador, bem como uma moção da CDU que apelava à participação nas manifestações.
Julho 4, 2014
O Bloco de Esquerda apresentou uma moção pela reposição do horário de trabalho de 35 horas semanais para os funcionários da Freguesia. A moção vem contrariar o aumento para 40 horas que o Governo recentemente decretou para todos os funcionários públicos, sem negociação e sem que fosse previsto qualquer acréscimo remuneratório. O deputado Francisco Silva considera que o aumento da carga horário não se irá traduzir num aumento de produtividade nem em nenhuma mais-valia